Maçonaria lamenta morte de Aldo Castanheira

Carlos Araújo – O Estado perde com o falecimento do desembargador Aldo Castanheira – um de seus homens públicos mais íntegros e que muito contribui para a consolidação das instituições em Rondônia, trazendo avanços institucionais fundamentais ao desenvolvimento da então nova fronteira do desenvolvimento do Brasil, como o Governo Federal denominava Rondônia. Ao recordar a trajetória do desembargador Aldo Castanheira em Rondônia, o Grão Mestre da Grande Loja Maçônica do Estado de Rondônia (Glomaron), Juscelino Moraes do Amaral, lamenta seu falecimento e solidariza-se com os familiares e amigos pela dor da perda.

A Maçonaria rondoniense acompanhou por muitos anos o trabalho do desembargador Dr. Castanheira, a quem sempre admirou pela simplicidade com que se conduzia nos vários cargos importantes que assumiu, sendo um deles, já depois de aposentado da Magistratura. A Glomaron se refere à passagem do desembargador Aldo Castanheira pela Casa Civil no Governo Osvaldo Pianna.

No final daquela administração, foi o desembargador Aldo Castanheira quem manteve conduta exemplar, ao aguardar no Palácio Presidente Vargas a chegada do então Governador empossado Valdir Raupp, para transmitir-lhe o cargo.

A Maçonaria entende que foram atitudes como essas, às vezes pouca valorizadas, que marcaram a trajetória desse cidadão que parte agora, mas deixa um legado importante para as futuras gerações de Rondônia. “E nós, da Maçonaria, não podemos deixar de realçar essas qualidades do desembargador Aldo Castanheira, cada vez mais raras nos dias atuais”, reiterou Juscelino Amaral.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.