Ji-Paraná: novo terminal do aeroporto José Coleto está prestes a sair do papel

Em reunião na tarde desta quarta-feira (18/10) na Secretaria de Aviação Civil, em Brasília, com a presença do deputado federal Marcos Rogério (DEM-RO) e do diretor do Departamento de Investimentos em Aeroportos Regionais da Secretaria de Aviação Civil (SAC), Eduardo Bernardi, o DER entregou os últimos documentos que estavam pendentes para iniciar o processo de construção do novo terminal do aeroporto José Coleto, em Ji-Paraná.

O recurso para a obra, de cerca de R$ 12 milhões, foi assegurado por intermédio da atuação do deputado federal Marcos Rogério junto à Anac e a SAC. Ao Estado coube elaborar projeto de fundação do terminal e do pátio. Os documentos finais foram entregues hoje pelo engenheiro Humberto Fayal, diretor do DER, pondo fim às pendências para a assinatura do termo de compromisso.

“Hoje chegamos na etapa final. Todos os documentos já foram entregues e está sendo feito um ajuste final no plano de trabalho, que será assinado pelo diretor do DER entre hoje e amanhã. A intenção da SAC é enviar a aprovação do termo até segunda-feira, para que até novembro estejamos aptos a assinar os termos de compromisso e iniciarmos a execução da obra”, explicou o diretor Eduardo Bernardi.

Além do terminal, também está prevista a construção do pátio e urbanização do aeroporto. O estacionamento também estava previsto no projeto original, mas foi cortado porque o orçamento foi ultrapassado na proposta entregue pelo Estado. Para não modificar o projeto e perder o recurso, o deputado federal Marcos Rogério se comprometeu em colocar recursos extras, por meio de emendas individuais, especificamente para a construção do estacionamento.

“Esse é um projeto muito importante para Ji-Paraná, e toda a região central de Rondônia. Saímos daqui com o compromisso de que o termo de compromisso e o convênio serão assinados e a obra iniciada. Além do recurso liberado pela SAC para a construção do terminal, eu também fiz o compromisso de colocar uma emenda individual para a construção do estacionamento, para complementar o valor da obra”, explicou Marcos Rogério.

 

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.