Apoiadores de Lula desmontam acampamento perto da PF

Os manifestantes que estavam acampados em um terreno em Curitiba desde o dia 7 de abril, quando foi preso o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), desarmaram o acampamento Marisa Letícia, criado para protestar contra a prisão do petista. Segundo a organização, corte de gastos, redução no número de apoiadores e ameaças motivaram o fim da manifestação.
“Por medida de segurança, uma vez que já sofremos sete atentados e responderemos a quatro processos judiciais, ainda hoje sofremos diversas ameaças, e por cortes de gastos e por número reduzido de pessoas, o acampamento opta em transformar a luta do espaço físico fixo para uma luta itinerante e virtual”, diz comunicado do movimento.
O acampamento, que ficava a um quilômetro da sede da PF, foi desmontado pelo movimento no dia 26 de outubro e deve virar um projeto itinerante.
Já a Vigília Lula Livre, que ocupa um terreno alugado em frente à sede da Polícia Federal em Curitiba, manterá as atividades. Os militantes do movimento dizem que a vigília reafirma ” nosso direito à manifestação e livre expressão”.

“A vigília é o espaço que agrega organizações, militantes, apoiadores e simpatizantes da democracia, instalados em diferentes espaços de acolhimentos na região. Afirmamos, então, sobre o fechamento do acampamento Marisa Letícia, que trata-se de um espaço que, desde o início, teve autonomia e coordenação própria.
As nossas atividades da Vigília Lula Livre seguem normalmente”, diz nota do movimento

Veja mais em https://noticias.uol.com.br/politica/ultimas-noticias/2018/11/09/lula-acampamento-pf-vigilia-lula-livre.htm?cmpid=copiaecola

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*


This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.