Candidatos a governador em 2022, segundo Roberto Gutierrez 

Você sabe o que o senador-eleito Marcos Rogério (DEM-RO), o deputado federal eleito Leo Moraes (Podemos) e o prefeito de Jaru João Gonçalves Júnior (PSDB) têm em comum? – Os três são jovens, estão em ascensão política, reúnem qualidades que estão no inconsciente coletivo eleitoral e, por isso, são potenciais candidatos a governador de Rondônia em 2022. 

 João Gonçalves 
João Gonçalves Júnior tem pela frente uma reeleição ao cargo de prefeito de Jaru em 2020 com 99% de dar certo. Dois anos mais tarde estará com 30 anos de idade – um ano a mais da idade mínima exigida para candidatar-se ao cargo de governador. 

Leo Moraes 

Em 2022 Leo Moraes estará concluindo o mandato de deputado federal, estará com 38 anos e tem a vantagem de ser genuinamente da Capital de Rondônia. A única vez que Porto Velho elegeu um governador foi com Osvaldo Piana Filho. Os demais governadores eleitos de Rondônia sempre foram do Interior do Estado. 

Marcos Rogério 

A situação que, em tese, seria a mais confortável, será a do senador Marcos Rogério (DEM). Mesmo que perca a eleição de governador em 2022, continuará senador por mais quatro anos. 

Jesualdo Pires 

Representando a ala mais experiência, o ex-prefeito de Ji-Paraná Jesualdo Pires (PSB), não poderá disputar o cargo de prefeito de JI-Paraná daqui a dois anos porque foi reeleito e renunciou ao cargo para disputar ao cargo de senador. No entanto, ele poderia ser candidato natural do PSB ao governo de Rondônia em 2022. Daqui a quatro anos Jesualdo estará com 63 anos de idade. 

 Marcos Rocha
Diante das possibilidades em curso, significa dizer que o governador Marcos Rocha (PSL) terá que corresponder todas as expectativas possíveis para garantir uma reeleição. Mesmo estando com a máquina administrativa em seu poder, a concorrência não será nada fácil. O seu maior aliado, a onda Bolsonaro que foi decisiva este ano para elegê-lo, gerou muita esperança quanto às mudanças almejadas. Assim, quanto maior as expectativas depositadas em um candidato à presidência da República, maiores são os desafios para evitar o desgaste.

Obviedade

Em razão do financiamento público de campanha, certamente poderá encorajar outras candidatura, mesmo assim, por conta da cota de barreiras a tendência é a diminuição de partidos e até mesmo a fusão dele muitos deles.

Coluna do Gutierrez

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*


This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.