Casa Civil avalia incluir mais servidores na transposição a pedido de Marcos Rogério

Ludmila Lucas – Em reunião com o ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, nesta segunda-feira (22/04), o senador Marcos Rogério (DEM-RO) pediu atenção do governo na inclusão de algumas categorias do ex-território de Rondônia no decreto que está sendo elaborado pelo governo.

O texto elaborado pelo Ministério da Economia prevê a inclusão dos servidores de Rondônia entre os beneficiados pela transposição, nos moldes da incorporação que ocorreu nos estados de Amapá e Roraima. Senador por Rondônia, Marcos Rogério fez um apelo para que também fossem beneficiados os servidores da Secretaria de Administração do estado que passaram por reenquadramento após concurso interno, conforme o art. 2º, inciso IX da Lei 13.681/2018.

“Esses servidores prestaram concurso em 1985 e foram efetivados em 1989. Portanto, estariam de fora da transposição. Fiz um apelo ao governo para que eles também fossem enquadrados, por uma questão de justiça”, explicou Marcos Rogério.

A expectativa é de que o texto elaborado pelo ministro Paulo Guedes contemple servidores que até então estavam de fora da transposição, como os policiais militares, professores e servidores dos extintos Beron, Caerd, além dos aposentados. Segundo o secretário Especial de Desburocratização do governo, Paulo Eubel, o texto deve concluído nos próximos dias e enviado à Casa Civil para análise.

Colega de bancada do senador Marcos Rogério, o ministro Onyx Lorenzoni informou que a minuta do decreto deve chegar no Planalto nos próximos dias. “Assim que chegar aqui, o senador Marcos Rogério será convidado a discutir os termos do novo texto”, anunciou.

Já Marcos Rogério demonstrou confiança de que o problema envolvendo os servidores do estado seja resolvido em definitivo. “Foi uma reunião muito positiva e eu espero que a gente possa avançar ainda mais nessa transposição, que é tão importante para Rondônia, especialmente para os servidores do ex-território”, concluiu.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.