MPF denuncia ex-prefeito de Belém e empresários por fraude

ABr – O Ministério Público Federal (MPF) denunciou novamente à Justiça Federal o ex-prefeito de Belém, Duciomar Gomes da Costa (PTB) e mais nove empresários, servidores e ex-secretários municipais. Eles são suspeitos de envolvimento de fraudes em três obras públicas construídas com verbas federais na capital paraense.

A denúncia foi recebida pelo juiz  federal Rubens Rollo D’Oliveira, que retirou o sigilo do processo. Com isso, os dez denunciados passam a ser réus em processo penal. Apenas com base nas investigações da Operação Forte do Castelo, que investiga um complexo esquema de corrupção na prefeitura de Belém, Duciomar Costa responde a seis ações criminais e seis ações de improbidade.

Neste caso específico a denúncia se refere aos desvios nas obras do Portal da Amazônia, Macrodrenagem da Estrada Nova e BRT. Após seis anos do fim da administração de Duciomar Costa, as três obras denunciadas pelo MPF permanecem inconclusas e são objeto de outras investigações na esfera civil.

Os esquemas foram desvendados a partir de colaboração premiada assinada pelo MPF com um executivo da construtora Andrade Gutierrez, que ganhou todas as licitações das obras. Os 10 acusados são denunciados pelos crimes de associação criminosa e corrupção passiva, pelos quais podem ser condenados a penas entre 2 e 12 anos de prisão.

Danos morais

O MPF pede também que os denunciados sejam condenados a devolver mais de R$ 10 milhões em reparações aos cofres públicos e a pagar mais de R$ 16,5 milhões em indenizações, inclusive por danos morais à coletividade. Para o MPF, os danos morais são devidos porque os fatos causaram frustração e comoção social.

“Os crimes praticados valendo-se do mandato eletivo e da estrutura administrativa mais importante da capital paraense, possuem alto grau de reprovabilidade, causaram comoção social, descrédito, além de serem capazes de produzir intranquilidade social e descrença da população, vítima mediata da prática criminosa de tal espécie”, diz a denúncia.

Edição: Maria Claudia

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*


This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.