Prefeitura de Ji-Paraná é referência em Segurança Sanitária

A Divisão e Vigilância Sanitária da Prefeitura de Ji-Paraná recebeu na última semana a visita do diretor-geral de saúde e Vigilância Sanitária do município do Vale do Paraíso, Fábio Vitorio da Silva. O profissional solicitou autorização para acompanhar o trabalho realizado pela equipe de Ji-Paraná, principalmente, em relação à inclusão produtiva com segurança sanitária.

Segundo Alinny Rezende Santos Ferreira, diretora interina da Divisão de Vigilância Sanitária, Ji-Paraná se tornou referência para outros municípios de Rondônia, pois recebe a visita de profissionais que buscam aperfeiçoar o trabalho onde atuam.

Desta vez, a equipe da Vigilância acompanhou o profissional do Vale do Paraíso por três dias, durante os serviços de inspeção nas agroindústrias. O diretor conheceu o esforço que o município tem feito para formalizar os produtores e profissionais que comercializam alimentos como agroindústrias familiares e como a Prefeitura tem tido uma correta atuação e cumprimento de metas estabelecidas pela Agevisa.

 “O diferencial são os bons resultados que temos tidos ao longo da implantação do projeto de Inclusão Produtiva com Segurança Sanitária nos últimos dois anos no município. Fazemos orientações aos produtores familiares e pequenos empreendedores, para que tenham suas licenças e consigam colocar no mercado produtos e serviços de boa qualidade”, explicou Alinny Rezende.

“A experiência foi ótima e nos ajudou bastante. Nosso município ainda não implantou o projeto de Inclusão Produtiva e agora temos condições de iniciar esse processo. Percebi que a equipe de Ji-Paraná está cada vez mais bem preparada para trabalhar e inspecionar os pequenos empreendedores, e não apenas as grandes empresas e indústrias. Isso é muito importante para quem produz e para quem consome. Esta ainda é uma novidade em Rondônia, pois é uma mudança de paradigma. Por isso queremos fazer um bom trabalho onde atuamos e Ji-Paraná tem sido a nossa referência”, disse o diretor Fábio Vitório da Silva.

A Vigilância não é meramente um órgão fiscalizador, mas um agente de desenvolvimento local. Saúde não é só o bem estar físico, mas uma melhor condição de vida de modo geral.

“Quando conseguimos que um pequeno produtor agregue valor na sua produção, a chance dele ficar na propriedade rural é maior. Assim como é maior a chance de ter empreendedores que façam um trabalho ou serviço de qualidade e tenham garantias sociais, seja na manipulação de alimentos ou na área da estética”, explicou a diretora interina da Vigilância de Ji-Paraná.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.