Afastamento cautelar de diretor-geral da ANTT é sugestão de Marcos Rogério

Ludmila Lucas – Na manhã desta terça-feira, durante a abertura da reunião da Comissão de Infraestrutura, o senador Marcos Rogério sugeriu o afastamento cautelar do diretor-geral da agência enquanto as investigações estiverem em andamento. “Minha preocupação é de que a ANTT tem papel fundamental no pacote de concessões das rodovias e ferrovias e essa situação gera, além de desgaste para a agência, insegurança jurídica para os atores do processo”, apontou.

No último dia 11 de abril, o atual diretor da ANTT foi alvo da operação da Polícia Federal, Infinita Highway. No gabinete de Mário Rodrigues, os policiais recolheram processos, documentos, relatórios, computadores e celulares em busca de provas da participação dele em esquema criminoso.

Segundo as investigações preliminares, o diretor-geral estaria envolvido em várias irregularidades cometidas em rodovias de norte a sul do Brasil. Como, por exemplo, laudos falsos atestando a qualidade de rodovias, superfaturamento de pedágios, descumprimento de contratos de concessão, fraude na manutenção de estradas e orçamentos fictícios de obras não realizadas.

Marcos Rogério lembrou que a Comissão de Infraestrutura não apenas delibera sobre matérias relacionadas ao tema como também é responsável por sabatinar e aprovar os indicados que irão compor os quadros diretivos das agências reguladoras. “Temos responsabilidade na escolha e também na fiscalização e acompanhamento desses servidores públicos. Portanto, precisamos agir rápido diante desses acontecimentos na ANTT. É isso o que espera de nós cada um dos brasileiros que nos elegeram e que estão exaustos de pagar pela inação do poder público diante de acusações graves, sobretudo de corrupção”, disse.

O parlamentar ressaltou ainda que vai solicitar formalmente informações da ANTT quanto as providências internas que estão sendo tomadas. “Além disso, farei também provocação ao Ministério da Infraestrutura quanto às medidas que estão sendo adotadas em relação a essas investigações que estão em curso”, completou o senador.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.