Comerciantes e autoridades querem organizar tráfego

Lourenil da Silva
Lourenil propõe mudanças na Brasil

(Carolina Camilo) – Com o objetivo de debater sobre melhorias no trânsito da Avenida Brasil, a Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL), atendendo um pedido da Câmara de Vereadores e seus parceiros Empresa Municipal de Transportes Urbano (EMTU) e Associação Comercial de Ji-Paraná (Acijip), convocou seus associados para participar de uma reunião na noite de quinta-feira (2), no auditório da CDL. As discussões sobre as possiblidades de alterações no trânsito da Avenida Brasil iniciaram em uma audiência pública reivindicada pelo vereador Lourenil da Silva (PSC). “A finalidade é fazer algumas alterações que proporcione organização e mais segurança para quem transita pela via, sem prejudicar o potencial do comércio”, afirmou Lourenil da Silva, ressaltando que a Avenida Brasil é um dos principais centros comerciais de Ji-Paraná.

A reunião contou com a presença do vice-prefeito, Marcito Pinto (PDT), do presidente da EMTU, Marion Mello; presidente da CDL, José Aparecido Gonçalves; presidente da Acijip, Alexandre Dartiballi, presidente da Cooperativa Mista dos Taxistas de Ji-Paraná (Coopemtax), Walter Fernandes, dos vereadores Affonso Cândido (PSDC), Edilson Vieira (PMDB), Ida Castro (PV), Joaquim Teixeira (PMDB), Joziel Carlos de Brito (PMDB), Márcia Regina (PT) e Paulo Moura (PSB), e dos comerciantes da Avenida Brasil. “O progresso chega e com isso desafios são urgentes para uma administração, uma cidade. Por isso, estamos em busca da Avenida Brasil que queremos. É perceptível que a falta de planejamento trás o caos e elimina qualquer perspectiva futura de melhoramento na qualidade de vida”, afirmou o presidente da CDL, José Aparecido Gonçalves.

O município de Ji-Paraná tem cerca de 70 mil veículos cadastrados na Ciretran. Na Avenida Brasil trafegam diariamente aproximadamente seis mil veículos, 17 ônibus, 42 táxi-lotação e cerca de 90 moto-táxis. Durante a reunião, Marion Mello explicou que não existe possibilidade de transferir o transporte coletivo para Avenida Maringá, pois quando um veículo esta estacionado não tem espaço para o ônibus passar; o presidente da Coopemtax, Walter Freitas disse que o maior fluxo de embarque e desembarque é entre as T-3 e T-9 e se forem colocados pontos corretamente as paradas não atrapalharão o trânsito; o presidente da Acijip, Alexandre Dartiballi comentou que é preciso tomar decisões não só pelo hoje, mas com uma visão daqui a 10 anos, quando aumentarem os veículos e comércios no município; e o vice-prefeito Marcito Pinto anunciou que o projeto de calçadas e estacionamentos da Avenida Brasil, entre T-1 e T-17, esta pronto e será licitado nos próximos 60 dias. “O investimento na obra será de R$ 2.083 milhões, emenda do senador Acir Gurgacz (PDT), e R$ 300 mil contrapartida da prefeitura”, informou o vice-prefeito.

 

Definições

Após o debate e votação ficou definido o seguinte para a Avenida Brasil: O transporte coletivo continua na via; Serão implantados pontos de ônibus adequados para não atrapalhar o tráfego; Melhorias nos estacionamentos das Ts; Retiradas das placas e mercadorias das calçadas; Lanchonetes e sorveterias só poderão colocar mesas e cadeiras nas calçadas após o expediente dos lojistas; Pit-stop, tráfego de tração animal, veículo de grande porte e carros de som estão proibidos na via; Zona Azul é aprovada para médio e longo prazo após estudo de viabilidade técnica e propor para que seja aplicada em toda a cidade; e as Implantações de lixeiras serão realizadas após a conclusão das calçadas. “A partir destas decisões vou apresentar requerimentos na Câmara Municipal para beneficiar os comerciantes, consumidores e toda a comunidade, que terão garantia de trafegabilidade e segurança na Avenida Brasil”, finalizou Lourenil da Silva.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.